Blog

Visibilidade verde

A Conexa Comunicação está fazendo a assessoria de imprensa de um dos primeiros  green buildings do Brasil.

Trata-se do Iguaçu 2820, o primeiro edifício verde da cidade, recentemente lançado pela Construtora e Incorporadora Laguna, que visa certificação LEED – Leadership in Energy & Environmental Design (LEED), que regulamenta este tipo de construção em todo o mundo.

O edifício está localizado em uma área nobre da cidade: na Av. Iguaçu, próximo à Praça do Japão, no Batel, abrangendo um edifício comercial (com 21 andares e 132 salas de 32 a 442 m² privativos para venda) e outro corporativo (com 5 pavimentos para locação, com espaço de 1.150 m² privativos cada). Para ser um empreendimento “verde”, é preciso comprovar, ao longo de todo o seu processo construtivo, que ele engloba de fato a proteção do meio ambiente, por meio da reciclagem, tratamento dos resíduos e uso de materiais certificados.

edificio

Precisa demonstrar também tratar-se de um espaço de trabalho humanizado, que leva em conta, acima de tudo, o bem-estar das pessoas. A adoção de práticas de sustentabilidade para edificações no país vem sendo regulamentada pelo Green Building Council Brasil, ou também conhecido como GBC Brasil. Organização não-governamental que auxilia no desenvolvimento da indústria da construção sustentável no país.

De acordo com o construtor Gabriel Raad, diretor da Laguna, este tipo de edificação é uma tendência mundial que chega ao Brasil, elevando o nível das edificações e contribuindo para que os avanços tecnológicos sejam empregados em prol do meio ambiente, gerando economia e maior eficiência.

Arquitetura de vanguarda

Com uma arquitetura de vanguarda, o empreendimento incorpora também em sua estética os diferenciais de sustentabilidade, que surgem como o traço visual fundamental de sua arquitetura – dos isolamentos aos sistemas de ventilação natural, passando por vidros de alta performance, que reduzem a incidência solar, cada detalhe do Iguaçu 2820 tem uma preocupação ambiental.

Tecnologia

A alta tecnologia é utilizada como parte integrante da construção e do design, sendo visíveis na fachada do edifício e não apenas escondida ou disfarçada em algum recanto. Seus vidros servem como função estética e ao mesmo tempo evitam a irradiação excessiva do sol, permitindo também maior conforto térmico aos ambientes e espaços corporativos compartilhados.

Recursos Naturais

No que se refere aos recursos hídricos, o Iguaçu 2820 consegue diminuir o consumo de água em até 45%, com o reuso de águas servidas, torneiras e descargas de baixo consumo entre outros dispositivos de controle eficiente de recursos naturais e de mão-de-obra. Elevadores inteligentes servem para a redução energética dos sistemas de transporte do edifício, com antecipação de chamada e destino que distribuem os passageiros de acordo com o andar para o qual vão se dirigir.

O projeto do Iguaçu 2820 possui também sensores de dióxido de carbono (CO2) para que o ar exterior seja utilizado de acordo com a ocupação atual do ambiente. E ainda um “telhado verde”, que combate o efeito estufa, aumentando o “sequestro” ou a retirada de carbono da atmosfera.

Vantagens condominiais

No que se refere às questões condominiais, o empreendimento terá um sistema de automação predial de última geração, ou Building Management System (BMS), que controla e monitora os equipamentos mecânicos e elétricos do edifício, tais como ventilação, iluminação, sistemas de energia, sistemas de incêndio e de segurança de forma totalmente computadorizada.

Facilidades por meio do sistema pay per use também serão oferecidas aos condôminos, reduzindo custos para utilização dos espaços comuns, como auditório para 85 pessoas, Business Center, Espaço Gourmet e Espaço Café.

Mais detalhes sobre o empreendimento, acesse: www.iguaçu2820.com.br ou www.construtoralaguna.com.br

Outros Posts