Blog

Iniciativa pioneira de reciclagem no Paraná investe R$ 20 milhões até 2015

O Paraná deverá ser um dos primeiros estados da federação a avançar efetivamente na Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com investimentos na ordem de R$ 20 milhões, até 2015, o modelo já beneficia 70 municípios, com o processamento anual de 1,8 mil toneladas de resíduos.

Trata-se do projeto da Central de Valorização de Materiais Recicláveis (CVMR), uma iniciativa pioneira no Brasil, que surgiu da parceria entre o Ministério Público do Trabalho no Paraná, Ministério Público Estadual, Sindicato das Indústrias de Bebidas do Estado do Paraná, representando empresas de diversos segmentos industriais, com plantas tanto no Paraná e em outros estados.

Além de sindicatos e associações, o projeto tem um grande impacto social, além e ambiental, pois envolve os catadores de materiais reciclados, que fazem parte de uma cooperativa, administrada pelo Instituto Lixo e Cidadania, e tendo a fiscalização e apoio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

No próximo ano, três outras cidades receberão a estrutura da CVMR: Cascavel, Francisco Beltrão e Guarapuava. 

“Instaladas atualmente em Pinhais e em Carambeí, as centrais serão dispostas também em Londrina e Maringá até julho, alcançando mais de 100 cidades e beneficiando diretamente 6,7 milhões de pessoas”, descreve a presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico (Simpep), Denise Dybas Dias.

O Simpep integra o grupo de entidades e empresas que financiam e apoiam o projeto da CVMR, desenvolvido para profissionalizar o processo de logística reversa das indústrias paranaenses. “Esta é uma oportunidade única oferecida àqueles que precisam se adequar à Política Nacional de Resíduos Sólidos”, ressalta Denise. 

“A partir de março, as empresas que não contarem com plano de logística reversa serão notificadas pelos órgãos competentes e poderão sofrer as sanções legais previstas, que incluem multas com valores variando de cinco mil a cinquenta milhões de reais”, aponta. 

As centrais geram renda média individual de R$ 1.100 para os catadores associados ao projeto. “Com todas as centrais instaladas, o grupo de catadores inseridos no projeto chegará a dois mil, resultando na geração de renda para cerca de oito mil pessoas”, destaca o executivo do Simpep, Luiz Roberto dos Santos. 

“As centrais estão contribuindo para resolver questões ambientais e sociais, gerando renda para os catadores, agregando valor à matéria prima, bem como estimulando o cumprimento da lei”, destaca Santos.

Usina de pet otimiza processamento de material plástico em Pinhais

Em dezembro de 2013, a CVMR de Pinhais incorporou ao seu parque de máquinas a usina de beneficiamento pet, que realiza a transformação de garrafas pet em flake, insumo utilizado nas indústrias dos setores plástico e têxtil. O equipamento tem a capacidade para produzir até 150 quilos de flake por hora. A usina de pet aprimora as condições de trabalho dos catadores que atuam na CVMR, além de agilizar o processamento dos materiais. Com uma produção diária maior, a renda dos  deve aumentar proporcionalmente nos próximos meses.

Outros Posts